Zuenir Ventura responde ao Questionário Proust

zuenirventura

Zuenir Ventura, o escritor mineiro de Além Paraiba,  um dos mais renomados e premiados jornalistas do País, respondeu ao Questionário Proust para o Salvem os Gatos e admitiu que não há nada melhor no mundo do que ser avô de Alice e Eric

 

Amar o transitório

Por Zuenir Ventura

Carpe diem é uma expressão latina presente numa ode do poeta Horácio, da Roma Antiga, e que ficou popular no fim dos

continuar lendo

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Vampiros Energéticos

Use alho no pescoço.

(Use alho no pescoço).

Em um mundo que reduz a alma à pílula, onde o que importa é o que você aparenta ser, não o que é, aparenta saber, não o que sabe, e principalmente aparenta sentir, nunca o que sente, as pessoas estão cada vez mais plastificadas e dissimuladas. Ultimamente, tenho reparado que vivemos rodeados em todas as áreas da nossa existência por atores-sanguessugas.  Os  vampiros energéticos — como eu chamo

continuar lendo

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Tem quem goste

odeioverãoecalor

 

Tem quem goste de sair do banho e, antes de se secar, já estar com cara de final de festa…

Mas não eu

Tem quem goste de torrar ao sol de 45 graus com uma sensação térmica de quase 52ºC…

Mas não eu

Tem quem goste de se banhar em águas turvas com a presença permanente de esgoto…

Mas não eu

Tem quem goste de andar quase pelado, com pouca roupa — e,

continuar lendo

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Atenção

otempovoa

 

A morte não perdoa ninguém. Fato. A existência de todos é pautada por perdas. Grande verdade. Estar vivo significa perder sempre algo. Inevitavelmente. De igual modo viver é maravilhoso, principalmente, pois não há limites para a criação humana. Para a amizade. Para a camaradagem. Pro recomeço. Para os encontros especiais. E sem esquecer do amor livre de segundas intenções. Mas fiquem atentos porque a vida não passa de um susto. Ou

continuar lendo

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Alô, Marcos Palmeira…

marcospalmeiras

Há bem uns sete anos minha mãe cisma que eu e o Marcos Palmeira fomos feitos um para o outro. Não sei porque cargas d’água ela pensa que, se um dia nós nos conhecêssemos, iríamos nos apaixonar perdidamente. Talvez seja algum sintoma de esquizofrenia falando mais alto, talvez seja a esclerose chegando ou, quem sabe, seja simplesmente wishful thinking. O fato é que ela tem a mais absoluta certeza de que seríamos

continuar lendo

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+